Conecte-se conosco

Crime

Após matar a prima a tiros, rapaz comete suicídio

Publicado

em

Um rapaza de 23 anos matou a prima de 26 anos, com três tiros de revólver calibre 38 e depois cometeu suicídio. O crime que seria passional aconteceu por volta das 21h30 na Avenida Beira Rio, em frente a Faculdade Ulbra de Itumbiara.


Muryllo Alves Vieira era primo de Rosane Vieira da Silva em primeiro grau. Porem, segundo informações, eles mantinham um relacionamento amoroso. Poucas pessoas de uma família numerosa sabia do romance dos dois.


O casal chegou ao local cada um em uma moto e estavam discutindo muito. Segundo testemunhas, antes mesmo de descer da moto, a moça ameaçou ir embora, mas acabou ficando. A discussão acabou ficando mais séria.

Um casal que estava namorando próximo onde discutiam disse que ouviu um pedido ” não faz isso comigo, porque eu tenho um filha pequena”. Em seguida ouviram um tiro e depois mais dois disparos.


Após matar a moça, Muryllo colocou a arma contra a cabeça e disparou. Mas a arma falhou, em seguida houve um novo disparo e o rapaz já caiu morto.


O Corpo de Bombeiros foram os primeiros a chegar no local, pois houve informação de que a mulher ainda estava viva. Porém foi constatado pelo resgates que ambos estavam mortos e acionaram o SAMU. A morte foi atestada pela Dra Samantha.


Logo a Polícia Civil que também esteve no local do crime seguido de suicídio e acionou o IML, que realizou a perícia no local e removeu os corpos. Os investigadores permaneceram o tempo todo no para garantir a integridade da cena onde os fatos aconteceram.

Linguarudos



O conteúdo do site é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.



Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Crime

Rixa entre venezualano e Haitiano acaba em morte a facadas em Chapecó

A faca utilizada, foi entregue para a guarnição por um funcionário da empresa

Publicado

em

imagem reprodução

Por volta da 04h40 min madrugada da última sexta-feira para atender uma ocorrência de homicídio, na Rodovia Balseiros do Rio Uruguai. De acordo com informações do Notícias Chapecó os dois homens, sendo um venezuelano e outro haitiano já tinham uma rixa antiga.

Vocalista Do Capital Inicial Testa Positivo Covid-19

O crime aconteceu em uma agroindústria. Chegando ao local os fatos foram constatados, os policiais militares realizaram a prisão em flagrante e condução do autor à Central de Plantão Policial (CPP) de Chapecó, para os procedimentos cabíveis. Também foram acionados IGP e Polícia Civil para comparecerem ao local.

O autor relatou aos policiais militares que conseguiu a faca no próprio setor onde trabalha e desferiu facadas na vítima, porque essa desferiu um soco em seu rosto em momento anterior. O autor disse que tinha um bom relacionamento com a vítima, porém uma testemunha disse que os dois tinham desavença antigas.

Após matar a prima a tiros, rapaz comete suicídio

No setor em que ambos trabalhavam a ferramenta de trabalho é a faca, onde trabalham cerca de 50 pessoas, várias delas (aproximadamente 40 ) utilizam faca.

A faca utilizada, foi entregue para a guarnição por um funcionário da empresa, essa faca foi entregue ao IGP no local.

O autor tem 36 anos e nacionalidade haitiana, já a vítima tinha 40 anos e nacionalidade venezuelana.



O conteúdo do site é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.



Continue Lendo

Crime

Filho ajuda mãe enterrar irmã viva após a menina acusar padrasto de estupro

A mulher de 29 anos foi presa e prestou depoimento admitindo que matou a filha junto com o filho mais velho

Publicado

em

Um filho de 13 anos ajuda a mãe enterrar viva a própria a filha porque, pois a menina de 10 anos havia feito uma acusação de estupro contra o padrasto, de 47 anos. O crime com requinte de crueldade onde a garota foi enterrada de cabeça para baixo, aconteceu em Brasilândia, no Mato Grosso do Sul.

A mulher de 29 anos foi presa e prestou depoimento admitindo que matou a filha junto com o filho mais velho, após ela acusar o padrasto de abuso sexual. E de acordo com a informações da Polícia Civil que investigou o caso, o irmão da vítima também admitiu ajudado a mãe a cometer o crime. A desconfiança de que o garoto também estava envolvido no assassinato, veio quando a Polícia notou alguns arranhões em suas pernas.

O filho contou que a mãe estava com muita com raiva da filha depois que ela revelou que estava sendo abusada sexualmente pelo padrasto. A mulher ameaçou a menina de morte se ela não parasse de falar sobre o assunto.

O garoto ainda revelou , ela chamou os filhos para sair de carro. E após dirigir até uma estrada deserta, a mulher tirou a filha do carro, a derrubou no chão. Quando caída, a mãe estrangulou a menina com um fio de telefone.

Quando deu conta que garota estava inconsciente, a mãe e o filho colocou a menina em um poço perto do lixão da cidade, enquanto ela pedia socorro mesmo dentro da cova. Após cometer o assassinato, a mulher ainda denunciou a polícia o desaparecimento da filha.

De incio ela deu a versão de que deixou a garota e o irmão em uma praça próxima de casa. Mas o segredo logo foi quebrado, quando ela mesmo, horas depois, ligou para a delegacia e confessou que tinha matado a filha e estava disposta a se entregar.

A vítima no ano passado havia confessado a uma testemunha os abusos que vinha sofrendo abusos por parte do padrasto de abuso. Ela teria dito ainda que não poderia contar nada a ninguém pois tinha medo de apanhar da mãe.

A mãe já era fichada por tráfico de drogas e furto, e padrasto da menina está sendo investigado por participação no crime. Com a investigação de estupro de vulnerável em curso, ele já teve teve a prisão preventiva decretada.



O conteúdo do site é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.



Continue Lendo

Crime

Caso Isis Helena: Polícia fecha o cerco na casa da mãe da criança desaparecida

Segundo as autoridades, a mãe Jennifer Natalia Pedro esteve na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM)

Publicado

em

A Polícia Civil de Itapira, interior de São Paulo, fechou o cerco na casa da mãe da pequena Isis helena depois que a família começou a receber ameaças.

Essa seria uma ação protetiva para a integridade da mãe de Isis Helena, visto que está sendo ameaçada de morte por um grupo de pessoas.

Segundo as autoridades, a mãe Jennifer Natalia Pedro esteve na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) para registrar um boletim de ocorrência.

Na ocasião ainda, ela deixou com a polícia o celular para análise depois que recebeu uma mensagem de áudio onde teria sido feita uma espécie de convocação para ir até a frente da casa da família, acusando-a pelo sumiço da filha.

Pastor é flagrado com roupas íntimas deitado com menor dentro da igreja(

A pequena Isis Helena sumiu na cidade de Itapira (SP) a 10 dias, e a polícia ainda não conseguiu identificar pontos importantes deste mistério.

A criança de 1 ano e 10 meses nasceu prematura, com microcefalia, e as investigações ainda não chegaram às respostas de como, quem e por qual motivo ela foi levada de casa.

No momento, o inquérito policial tramita sob sigilo, e segundo a mãe, no dia 02 de março, ela deixou a filha dormindo no colchão, dentro do quarto, juntamente com o avô da criança. Ao retornar ao imóvel, viu que a porta do imóvel estava aberta e que Ísis havia sumido.

Diante deste mistério, uma série de boatos circulam as investigações, deixando os familiares ainda mais apreensivos.

Por isso, tanto os policiais como a família de Isis Helena pedem respeito neste momento e comprometimento por parte de quem for dar qualquer informação que leve ao paradeiro da criança.

Buscas pela cidade foram feitas por familiares e por equipes de resgate, com o uso de cães farejadores e mergulhadores, mas a menina não foi localizada.



O conteúdo do site é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.



Continue Lendo

Crime

Professor é preso após oferecer filha em troca de favores sexuais

O homem oferecia a filha para atos sexuais em troca de dinheiro

Publicado

em

A Polícia Civil da cidade de Assis, interior de São Paulo, prendeu um professor acusado de oferecer a própria filha para favores sexuais, além de acusações de pedofilia.

Segundo as investigações, o professor já vinha sendo investigado após um homem denunciar que recebeu por meio de um site de relacionamento, fotos de crianças nuas, e as autoridades chegaram à identidade do professor como mandante do material.

Nos atos, o professor oferecia a filha para atos sexuais em troca de dinheiro, e em depoimento, assumiu a denúncia, mas disse que se tratava apenas de uma fantasia sexual, e que nenhum encontro teria se concretizado.

As investigações vão continuar para identificar se essas fotos são realmente da filha dele ou de outras crianças que tiveram aproximação com o pedófilo.

O homem foi levado para uma cela na Central de Polícia Judiciária de Assis onde aguarda os procedimentos judiciais.

Em nota, a prefeitura de Assis informou, por meio da Secretaria Municipal de Educação, que o servidor da pasta ocupa cargo administrativo na sede da secretaria. Disse ainda que a prefeitura vai colaborar com as investigações e que a acusação contra ele ocorre fora do serviço público.

Já a Secretaria Estadual da Educação, por meio da Diretoria Regional de Ensino, afirma em nota que uma apuração preliminar foi aberta, e se comprovada, serão aplicadas as penalidades pertinentes.



O conteúdo do site é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.



Continue Lendo

Crime

Fim do casamento leva mãe matar filha de 2 anos. ” Ia cometer suicídio em seguida”, disse

Segundo a Polícia Militar, uma vizinha contou que sabia que a mãe dava remédios para a menina dormir

Publicado

em

Na tarde deste domingo (8) em uma comunidade rural que fica a 29 Km da cidade Passos (MG) uma mulher foi presa. A Polícia suspeita que a mulher matou a filha de 2 anos dando remédios contra a depressão para a criança.

A mulher acabou confessando ter matado a filha, e foi a avó da criança que teria encontrado a menina já desacordada. Ela estava com um travesseiro sobre a cabeça.

Conforme o B.O, o Samu encontrou com a família a caminho da cidade.Mas no momento em que a criança foi levada para a ambulância, ela já estava sem vida.

A Polícia Militar informou que uma vizinha disse que sabia que a mãe dava remédios para a menina dormir. Contou ainda que chegou a ver a criança com marcas de tonturas.

“Há indícios de asfixia, nós não sabemos se a asfixia foi provocada por um agente externo, asfixia mecânica com utilização de um travesseiro ou por meio de medicamento, a gente acredita que houve utilização sim de um remédio que é proibida a sua venda sem a devida receita, vamos estudar isso”, disse o delegado regional Marcos Pimenta.

A mãe da criança disse à polícia na Delegacia que estava em depressão desde que seu casamento chegou ao fim. Afirmou que queria matar a filha e cometer suicídio em seguida.

“A motivação ela alegou no seu depoimento que foi face ao término do relacionamento com o pai da criança, que acabou indo para o Estado de São Paulo e ela acabou optando inicialmente por maus-tratos da sua filha, relatos da própria vó disseram que a criança estava sendo negligenciada tanto nos aspectos de alimentação, banho, etc e que na data de ontem, após uma discussão com seu marido, ela disse que iria acabar com a própria vida e com a vida da criança”, disse o delegado.

Segundo a Polícia Militar, uma vizinha contou que sabia que a mãe dava remédios para a menina dormir e que chegou a ver a criança com sinais de tonturas.

“Há indícios de asfixia, nós não sabemos se a asfixia foi provocada por um agente externo, asfixia mecânica com utilização de um travesseiro ou por meio de medicamento, a gente acredita que houve utilização sim de um remédio que é proibida a sua venda sem a devida receita, vamos estudar isso”, disse o delegado regional Marcos Pimenta.

Na delegacia, a mãe da criança disse à polícia que entrou em depressão após o fim do casamento e que queria matar a filha e se matar em seguida.

“A motivação ela alegou no seu depoimento que foi face ao término do relacionamento com o pai da criança, que acabou indo para o Estado de São Paulo e ela acabou optando inicialmente por maus-tratos da sua filha, relatos da própria vó disseram que a criança estava sendo negligenciada tanto nos aspectos de alimentação, banho, etc e que na data de ontem, após uma discussão com seu marido, ela disse que iria acabar com a própria vida e com a vida da criança”, disse o delegado.



O conteúdo do site é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.



Continue Lendo

Crime

Homem é morto no Paraná a pauladas após mostrar “peru” a pedestres

Publicado

em

Na cidade de Curitiba, no Paraná, um homem de 30 anos foi morto com pauladas na quarta-feira (4) depois que supostamente teria mostrando o “peru” para pessoas que passava no bairro Rebouças.

Bispo encapetado da Igreja Mundial desfigura rosto da esposa. Ela se vingou “vazou vídeo nudes”

Segundo as autoridades locais, o morador de rua levou vários golpes de madeira na cabeça, e o motivo estaria ligado ao fato dele ficar mostrando o órgão genital para as pessoas.

Esse ato já vinha sendo recriminado por moradores do bairro, e a vítima era conhecida pelos atos libidinosos.

Vaza vídeo de grupo de empresários de Marau em sexo a 3 no motel

O delegado Tito Livio Barrichelo, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), disse que o assassino agiu com muita crueldade, e que pela forma como foi, existia muita raiva.

Testemunhas que passavam pelo local do momento do crime, relataram que viram o corpo sendo deixado no bairro, e que o suspeito também era morador de rua.

O corpo da vítima foi recolhido ao Instituto Médico Legal de Curitiba (IML), e as autoridades estão dando continuidade nas investigações. 



O conteúdo do site é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.



Continue Lendo

Crime

Travesti mata cliente a facadas por não receber valor do programa sexual

Gilmar só foi identificado após a consulta das impressões digitais

Publicado

em

Um crime bárbaro chocou os moradores de Registro-SP, quando travesti, segundo seu documento, Welton Flávio Pereira da Silva,conhecida como ‘Paty’, de 23 anos, foi presa e confessou matar a facadas o cliente Gilmar Vassão Coelho, de 31 anos.

Léo Dias se retrata após acusações falsas contra filho do sertanejo Luciano

Segundo informou os agentes da polícia que fez apuração do caso de assassinato, ela confessou o crime e afirmou ter matado Gilmar com um golpe de faca, após um “programa sexual”, pois o cliente que acabou se tornando vítima não pagou o valor de R$ 50 que havia sido combinado como pagamento.

No momento da prisão ela estava escondida nas imediações da Ponte que dá acesso a Vila Nova quando foi localizada. Após confessar o crime, ela foi encaminhada à Cadeia Pública de Registro, onde permanecerá À disposição da Justiça.

Marido atira na esposa e mata pedreiro que curtiu a foto dela

A equipe policial explicou que foram realizadas investigações e trabalho de inteligência policial que possibilitaram a identificação do autor do crime, caracterizado por homicídio qualificado.

A polícia ainda informou que o rapaz foi encontrado morto em Registro-SP, na Avenida Marginal Castelo Branco com ferimento na região do pescoço. Já o travesti era morador de Itanhaém e estava na região apenas para fazer o programa.

Gilmar só foi identificado após a consulta das impressões digitais dele com o banco de dados do Sistema de Identificação Civil da Polícia, já que estava sem documentos.



O conteúdo do site é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.



Continue Lendo

Crime

Marido atira na esposa e mata pedreiro que curtiu a foto dela

A Polícia Civil ainda informou que o homem foi abandonado por defensores, pois nenhum advogado tinha se apresentado representar o suspeito

Publicado

em

Mais um caso de feminicídio foi registrado na última nesta quinta-feira (13), quando o ex- marido da mulher que é caminhoneiro, Júnior Vagner Moura Gomes, de 45 anos, passou a ser suspeito de matar o pedreiro Gilvan de Jesus.

Zilu Camargo posta foto na academia e corpo malhado inveja seguidores

Em carta filhos de Gugu detonam a mãe e plano de Rose Miriam vem a tona

Já em seguida, o caminheiro atirou no rosto da ex-mulher, Gleide Batista dos Santos, em Nova Crixás, que era professora no norte de Goiás. De acordo com informações da Polícia Civil, Gomes atirou contra o homem depois que ele curtiu uma foto da ex-mulher em uma rede social.

A Polícia Civil ainda informou que o homem foi abandonado por defensores, pois nenhum advogado tinha se apresentado representar o suspeito. Ao menos até a última atualização desta reportagem.

Segundo a delegada do município, Jocelaine Braz Batista, o casal estava separado há dois anos. porem, o caminhoneiro não aceitava o fim da relação. A delegado ainda explicou que Gilvan foi morto com um tiro na nuca enquanto dormia em casa. Logo depois, segundo a investigadora, o caminhoneiro se deslocou até a residência da ex-mulher, pulou o muro e efetuou os disparos.

Já a mãe da professora, Geroní Maria dos Santos, de 60 anos, também professora na cidade, disse que a filha passa por cirurgia no Hospital Governador Otávio Lage (Hugol), em Goiânia, e ainda não tem informações sobre o estado de saúde de Gleide.

A professora tinha uma medida protetiva que conseguiu na Justiça de Goiás contra o ex-marido por ameaça de morte. Ele, inclusive, tem duas passagens por ameaça nos arquivos da Polícia Civil, segundo a delegada. A mãe da professora ainda revelou que o casamento era conturbado e o suspeito muito violento.

Gleide Batista tem dois filhos, de 23 e 16 anos. Eles não estavam em casa quando o caminhoneiro efetuou os disparos contra a mulher. A mãe dormiu com ela na noite anterior e acredita que o suspeito vigiou a residência e esperou ela ficar sozinha para pular o muro.



O conteúdo do site é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.



Marido atira na  esposa e mata pedreiro que curtiu a foto dela
Continue Lendo

Trending